segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Um oriente ao ocidente

Enquanto eu estou aqui hoje, o que me dá a maior esperança não são as pedras e o mármore que nos cercam hoje, mas o que preenche o espaço entre elas. Que são vocês, americanos de todas as raças, regiões posições sociais, que vieram aqui porque acreditam no que este país pode ser, e porque vocês querem nos ajudar a chegar lá.  Barack Obama
Os EUA compõem a maior potência mundial. Tal feito é suficiente? Garante-lhes o deal tão acalentado? Pois não há resposta dissonante: o que vemos é a pujança mergulhada numa confusão sem precedentes.
Muitos hoje alegam que os déficits do governo americano e o afrouxamento monetário feito pelo Fed impediram uma repetição da Grande Depressão. Do meu ponto de vista, a calamidade não foi evitada, mas apenas adiada.  O preço do adiamento será um declínio econômico muito mais severo, o qual hoje eu creio que superará a Grande Depressão.No final, todas as bolhas da economia americana não irão apenas desinflar; irão estourar.  O dólar entrará em colapso, os preços dos bens de consumo irão disparar, o crédito real irá evaporar-se por completo, outros milhões de americanos irão perder seus empregos e a economia irá se alterar de um modo tal que poucos hoje podem imaginar.  O padrão de vida irá despencar e legiões de americanos de classe média e alta ficarão empobrecidos.Peter Schiff , 15/10/2010.  Vídeo
Como o paradoxo assim emerge? Que rumo toma aquela estátua para tornar o ser petrificado?.Por que Patinhas, malgrado seu imenso poder, é totalmente solitário, e Donald se faz tão alienado?
Meu monitor não falha: malgrado algodão entre a Europa e a Ásia, o coração americano nos remete à civilização greco-romana, ao exercício de domínio:
"Obama terá direito de usar a frase "So help me God" ("com a ajuda de Deus"). A liberação foi dada por uma corte distrital de Washington D.C."
Maior bobagem não há!
O caminho das pedras
Constatamos durante a campanha que o talento de Obama para a oratória era uma vantagem enorme, e creio que será ainda também um de seus grandes atrativos como presidente. Na verdade, a política não mudou desde a sua invenção pelos gregos. Todo o jogo reside na capacidade de expor seus argumentos de maneira clara e convincente. Ter essa capacidade, para um discurso improvisado ou preparado, é uma vantagem com muito valor na política. WILLIAM GALSTON, analista da Brookings Institution e ex-assessor da Casa Branca.
O despejado sintetiza o desvio fundamental:

A sociedade grega e romana se fundou baseada no princípio da subordinação do indivíduo à comunidade, do cidadão ao Estado. Como objetivo supremo, ela colocou a segurança da comunidade acima da segurança do indivíduo. Educados, desde a infância, nesse ideal desinteressado, os cidadãos consagravam suas vidas ao serviço público e estavam dispostos a sacrificá-las pelo bem comum; ou, se recuavam ante o supremo sacrifício, sempre o faziam conscientes da baixeza de seu ato, preferindo sua existência pessoal aos interesses do país. TOYNBEE, Arnold J., Estudos de História Contemporânea -A civilização posta a prova: 196.
Impérios conservam apenas a única  razão: a faina do domínio, ao gáudio exclusivo do vértice.
As principais características do indivíduo no grupo são, portanto, o desaparecimento da personalidade consciente, o domínio da personalidade inconsciente, a orientação de pensamentos e sentimentos em uma só direção mediante a sugestão e contágio, a tendência à realização imediata de idéias sugeridas. O indivíduo não é mais ele mesmo, é um autômato destituído de vontade. Ademais, pela mera participação num grupo, o homem desce vários degraus na escada da civilização.  LE BON cit. KELSEN, HANS, A Democracia: 315
Essa "invenção grega", configuração de coletivismo logrado pela retórica, desde a Ágora apreciado como modelo perfeito de Estado, sói levar o comboio ao limite do precipício:
A ética dominante na História da Humanidade foi uma variante da doutrina altruísta-coletivista, que subordinava o indivíduo a alguma autoridade superior, mística ou social. Conseqüentemente, a maioria dos sistemas políticos era uma variante da mesma tirania estatista, diferindo apenas em grau, não em princípio básico, limitada apenas pelos acidentes da tradição, do caos, da disputa sangrenta e colapso periódico. RAND, A.: 118.
WALTER LIPPMANN (cit. POPPER, K., Sociedade Democrática e Seus Inimigos, p. 88) bem identificou o tipo:
Os coletivistas tem o empenho de progresso, a simpatia pelos pobres, o ardente sentido do injusto, o impulso para os grandes feitos, coisas que tanto vem faltando ao liberalismo nos últimos tempos. Mas sua ciência se baseia num profundo mal-entendido; e suas ações, portanto, são intensamente destrutivas e reacionárias. Assim, os corações dos homens são destroçados, suas mentes divididas e são apresentadas alternativas impossíveis.
Infelizmente ninguém convence melhor do que vigarista. Não há impostor que não saiba usar a falácia. Não existe pastor que não queira tosar suas ovelhinhas.
Apesar desse caráter puramente teorético que tipifica a República platônica, o seu utopismo não se pode afiançar sem a sua materialização num regime universalmente válido 'que polarize todos os espíritos numa mesma conexão racional e que imponha uma mesma meta a todos os esforços,' DA SILVA, Ferreira, "O Andróptero", in: Obras Completas, Volume I, ( Introdução de Miguel Reale), São Paulo: Instituto Brasileiro de Filosofia, 1964: 17.
A Política requer outro viés. A tanto, os americanos elegeram OBAMA.
* * *
Foram os gregos que primeiro elaboraram a noção de direito. O pensamento platônico é o início da racionalização. Antes, porém, o pensamento grego está penetrado pela mitologia. O conceito de justiça sai da lenda e passa a ser entendido a partir da perspectiva da razão.RAIMUNDO G. MEIRELES www.espacoacademico.com.br
A democracia não nasceu na Grécia, tanto quanto o desenvolvimento atômico não se deve a DEMÓCRITO. Por lá o que havia era apenas um plebiscito, no sentido de aprovar ou não a guerra. As eleições se restringiam à escolha do adversário, não do comandante. O mundo até soube de Atenas, mas  a má temática de Platão & Pitágoras. elegeu Esparta como Zenith.  Aquela "democracia" não durou nem geração. LICURGO deu a primeira estocada, encantando SÓCRATES & PLATÃO. Criado o carma do ocidente, os Trinta Tiranos se serviram à granel.
O sabre do Império Romano durou séculos, e provou o acerto da escolha, repetida na tirania bizantina.
O dantesco Renascimento renovou o amor do Império Romano & Bizantino, e Roma ampliou espetacularmente seus tentáculos, quase por toda a face da Terra,. Para Galileu: o Grande Arquiteto do Universo era muito sábio para deixar a Terra no centro de seu magestoso engenho. Onde alojar a grande lanterna à trajetória humana?
Os povos ficaram de tal sorte impregnados neste blend de misticismo & pragmatismo, que em nome da Terra Prometida até hoje não há prurido nem piedade em exigi-la, nem que seja a manu militaire, isto é, desprovido de qualquer sentido humanitário. Por milhares de anos, a quase unanimidade religiosa ocidental vem obtendo pleno êxito, mormente desde interregno dos descobrimentos à Revolução Industrial. Neste instante houve uma tentativa de ruptura.
A Nação inglêsa é a única da terra que chegou a regulamentar o poder dos reis resistindo-lhes e que de esforço em esforço, chegou, enfim, a estabelecer um governo sábio, onde o príncipe, todo-poderoso para fazer o bem, tem as mãos atadas para fazer o mal; onde os senhores são grandes sem insolência e sem vassalos, e onde o povo participa do governo sem confusão. VOLTAIRE, cit. CHEVALLIER, tomo II: 67
Por cortar cabeças o Rei foi destituído. O poder passou ao individuo, assentado no Parliament. No entanto, graças aos cânones matemáticos a maioria passou a sobrepujar a minoria, à desgraça de todos. Não foram poucas as bandeiras levantadas, mas todas com cores ideológicas, no sentido da venda de tickets ao ideal de um, em detrimento de todos.
Na verdade, era isto que Shelley percebia já nos primeiros dias da Revolução Industrial, quando proclamou que na defesa da poesia devemos invocar ‘luz e fogo daquelas regiões eternas onde a faculdade do cálculo, de vôo rasteiro, jamais se atreva a guindar-se’.
Assim vimos o poder, o moral introjetado, um dúbio conceito de direito se manter suplantando a Ética, seja na União Soviética, na Alemanha, na Itália, nos EUA, no Brasil, ou alhures.
A grande epopéia das Luzes incluía no mesmo movimento o justo e o belo. Organizava um afresco tranquilizador da natureza e da sociedade. Os romances de aprendizagem diziam como se conduzir e se comportar. Ora, as indicações foram se desagregando nas sociedades industriais contemporâneas. Como poderiam ter consciência? DESCAMPS, C., As Idéias Filosóficas Contemporâneas na França:  27.
No final do século XIX, a principal influência sobre a teoria acadêmica social e econômica era das universidades. A idealização bismarckiana do Estado, com suas funções previdenciárias centralizadas foi devidamente reestudada pelos milhares de ocupantes de postos-chave do meio acadêmico que estudaram em universidades alemãs nas décadas de 1880 e 90.  SCHESINGER, Arthur M., The Crisis of the Old Order 1919-1933, p. 20; cit. em JOHNSON, Paul: 13.
O que ocorreu foi que as premissas tecnocráticas quanto à natureza do homem, da sociedade e da natureza, deformaram-lhe a experiência na fonte, tornando-se assim os pressupostos esquecidos de que se originam o intelecto e o julgamento ético. MISES, Ludwig von,1990: 112
Embora a mágica de esporádicos trechos incólumes, o retilíneo, desrespeitoso e por tudo grosseiro caminho passou por cima de tudo. A má temática de Platão & Pitágoras abalou todos os sistemas, sejam vegetais, minerais ou animais, e mormente os políticos, jurídicos, econômicos, científicos, filosóficos, sociais e pessoais. Ao examinarmos teorias e fatos, idéias e formas, para tomar o jargão da perfídia grega, elemento que impulsionou o insensato tour ocidental, delineamos o leitmotiv da torpeza. Precedeu-lhe o medo injetado, do trovão e da epidemia, da extinção da propriedade privada em prol do abstrato coletivo, gerado e gerido por um único artífice, invasões e chacinas, guerras frias e quentes, estratégias, ações e reações. As aventuras “ferrocarris-ideológicas” conduziram a humanidade no rumo de Marte, digo, da morte, às covas comunitárias, massacres coletivos logrados por convocações realizadas pretensamente na defesa de ideais, mas efetivadas na mera ambição do alheio, vileza camuflada na fé quase religiosa que hábeis condutores bem sabem incutir, no fito de captar seguidores de suas doutrinas de espoliação total...
A permanência desses pré-fabricados se torna indesculpável. Chegaremos mais próximos da reorganização e de um reacomodamento natural, paradoxalmente, lançando um cocktail desintegrativo nesse desenrolar pseudocientífico, ferros da direita e da esquerda que compuseram os trilhos à passagem da loco motiva sócio-política. Parando ou rompendo com o determinismo oriundo deste pretérito mecanicista, egoísta e opressor, poderemos alcançar mais rapidamente a readaptação, arejada e transparente, a perfazer um tecido social condigno com a época e as aspirações de cada um de nós. Voltando-nos ao real, por que acontecido, restar-nos-á explicá-lo e abandoná-lo, para tomarmos os tapetes mágicos de nossos próprios sonhos, permitidos e queridos por uma nova ordem (ou desordem), múltiplo anseio de ver e viver o mundo mais harmonicamente integrado e desenvolvido. Estacionado o velho trem, retirada a carga, optamos por pequenas, ágeis, versáteis e ecológicas naves, individuais ou não, mas definitivamente em consonância com a complexidade e leveza cósmica.
O imperativo da melhor convivência do habitante com o meio ambiente não pode olvidar, por óbvia extensão, o semelhante. Isto condiciona, pois, o aprimoramento das relações pessoais; por conseguinte, sociais. Em outras palavras: pelo respeito e consideração ao indivíduo (só por ele), chegamos ao resultado social. A economia faz-se tão somente expressão numérica, e por convenção. Trata-se de mero complemento; portanto, há que ser integrada, e não pauta destinatória. E o Direito, apenas explicação.
A reunião
Esta organização não pode ser abandonada à iniciativa dos governos: será alcançada quando os povos tiverem uma vontade firme e ativa, porque é renovação radical de todas as antiquadas tradições politicas. A compreensão e a vontade de resolver o problema estão-se generalizando. Acredito na influência de um individuo sobre outro e acredito no processo de seqüência e encadeamento entre os homens. EINSTEIN, A., Fala Einstein sobra o futuro da humanidade, Folha da Manhã, 4/3/1949
A intersecção marxista até apresentou novel locomotiva; porém, no mesmo esteio platônico. Não foram poucos os que trocaram a condução; e desse modo chegaram mais rápido no matadouro.
De que modo a civilização pode divisar o horizonte mais alvissareiro? Fulgura a importância da China. O oriente nunca se deteve nas ilhotas do Mediterrâneo. Por conseguinte, não se quedou nas artimanhas daqueles metidos a filósofos. Há milênio a China navegava pela bússula de Confúcio, cujo norte aponta à imensidão do porvir, não o remanescente pontual., ou qualquer restrita metafísica. Lao-Tzè emprestou-lhe solidez, e Sidharta pode ser acolhido. Os orientais preferem o usufruto. Os ocidentais primam pelo poder sobre as coisas, os animais, e, por conseguinte, até sobre seus iguais. Isso não tem sustentação, nem nexo. Eis a razão primaz do Declínio do Ocidente
A resposta está na cooptação, na reunião, no casamento, na complementação das culturas. Existe um denominador comum, intacto: a Ética, que a tudo sobrepuja. Ela precede os vãos conceitos de direito e justiça, essas ficções arquitetadas pela torpeza grega, estratégia cujo objetivo se resume apenas em dominação.
A Ecologia, o fundamento da vida, requer todo cuidado com o cenário, acima de qualquer direito. Mas ela, por óbvio, depois de cuidar do palco, há que se curvar ao ator. Ou seja: mister o respeito à natureza, sim, mas principalmente ao indivíduo que nela habita. Se para cada árvore cortada há um prejuízo irreparável, que dirá frustrar a realização de um ser humano.Apenas o ideal democrático, pois, não é forte para brecar a estupidez. Mister um  sistema que a todos contemple; portanto, a todos respeite.
Todo homem possui sua finalidade particular, de modo que mil direções correm, umas ao lado das outras, em linhas curvas e retas; elas se entrecruzam, se favorecem ou se entravam, avançam ou recuam e assumem desse modo, umas com relação às outras, o caráter do acaso, tornando assim impossível, abstração feita das influências dos fenômenos da natureza, a demonstração de uma finalidade decisiva que abrangeria nos acontecimentos a humanidade inteira. NIETZSCHE, F. W., Da utilidade e do inconveniente da História para a vida: 74
"Essa nova civilização tem sua própria e distinta concepção de mundo, maneiras próprias de lidar com o tempo, o espaço, a lógica e a relação de causa e efeito." (ORMEROD,Paul, 1996: 194)
O notável ANATOLY GROMIKO (Breakthrough: 8; cit. LEMKOW: 382) não se furtou em saudar a New Age:
A humanidade está emergindo de uma reação em cadeia de causa e efeito que se estende por bilhões de anos no passado. Agora a espécie tem o poder de afetar sua própria evolução através da escolha consciente. As pessoas hoje sabem mais do que nunca. Rádios, televisores, computadores, telefones, copiadoras se espalharam pelo globo em um século. Nenhuma geração pode acrescentar essas coisas aos jornais, revistas e as artes. O nosso é um tempo de possibilidades ilimitadas para intercâmbio, interação entre culturas, viagens e aprendizado. Pensar globalmente exige a descoberta da relação certa entre indivíduo e a comunidade global. Nenhum deles é insignificante. Deve haver uma relação saudável entre comunidade, ordem social, o todo e o indivíduo.
A atmosfera que enseja o melhor convívio do habitante com seu meio, e por conseguinte com seu semelhante, possui justamente na Ética seu princípio elementar.
A consciência humana está transpondo um limiar tão importante como o que transpôs da Idade Média para a Renascença. O homem está faminto e sedento após tanto trabalho fazendo o levantamento de espaços externos do mundo físico começa a ganhar coragem para perguntar por aquilo que necessita: interligações dinâmicas, sentido de valor individual, oportunidades compartilhadas, efeitos. Nosso relacionamento com os símbolos de autoridade do passado está se modificando, porque estamos despertando para nós mesmos como seres, cada qual dotado de governo interior. Propriedades, credenciais e status não são mais intimidativos. Novos símbolos estão surgindo: imagens de unidade. A liberdade canta não só dentro de nós, como em nosso mundo exterior. Sábios e videntes previram esta segunda revolução. O homem não quer se sentir estagnado, o que deseja é ser capaz de mudar. RICHARDS, M. C., The Crossing Point, 1973; cit. FERGUNSON, M.: 57
A amerrisagem do Airbus, justamente na cidadela do 11 de Setembro, não tem nada a ver; mas também pode ser visto como marco de encerramento da bestialidade encetada sobre as gêmeas, no melhor dos prenúncios.
________________
.
..Na data de hoje Janis
Joplin completaria 66 anos de idade.
Colho o ensejo para saudá-la onde
estiver, com Hendrix e outros mais.
A bandeira do Woodstock tem
que ser de novo hasteada.
.
Remember:

2 comentários: