quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Dakar: 11. Etapa - Passeio à Argentina














.


Tuareg voa baixo e vem dominando o Rallye



Más condições climáticas induziram a organização do Rallye Paris-Dakar 2009 suspender a disputa da Especial programada para hoje. Os veículos estão fazendo o percurso em caravana, sob as normas de trânsito convencionais. Vai ser uma festa. A travessia atinge inéditos 4.700 metros de altura ao cruzar a Cordilheira.
Densa neblina é adversa, mas com o passar das horas ela tenderia a se dissipar. Gaúcho costuma dizer: "serração baixa é prenúncio de sol que racha". No entanto, o álibi vem bem a calhar. O efeito da altitude, inédita aos concorrentes, por certo igualmente desconhecida dos organizadores, pelo menos quando estabeleceram esta especial, teria consequencias devastadoras, mormente pelo desgaste do comboio. Além do intenso frio repentino, a grande altitude exerce uma pressão descomunal ao fluxo sanguíneo, gerando cansaço ao menor esforço, e redução da potência dos motores, com riscos que quebra generalizada. Convém lembrar que a etapa de ontem, a mais exaustiva, exigiu o máximo dos pilotos e de suas máquinas, ao enfrentarem gigantescas dunas de 1.000 metros de altura e 100 km de extensão, no interior do deserto do Atacama, o mais árido do mundo. Eram montanhas de areia e sinuosas pendentes com pedras.
O deserto levou a deserções.
Muitos foram vítimas das armadilhas
Vários carros, motos, quadriciclos e caminhões apresentam avarias, muitos por batidas em pedras. O argentino Orlando Terranova (BMW), que liderava a etapa de ontem, e ocupava o 8.º lugar da classificação geral, despencou quatro metros com o carro, capotou e foi obrigado a abandonar a corrida.
.
Cristóbal Guerrero caiu da sua KTM, e foi hospitalizado em estado de coma. Outros três pilotos tiveram traumatismos e fraturas.
Apesar das proteções, párabrisas quebrados foi o que mais apareceu. Ademais, não foram poucos os desastres de ontem. Capotagens, e rodadas de motos se faziam a cada instante. Leia o curioso relato do piloto português:
Vejam só, o que me aconteceu: ao Km 30 uma roda traseira soltou-se, levei 4 horas para substituí-la, pouco tempo depois partiu-se a direcção, tudo bem resolveu-se. A seguir o vidro do carro soltou-se, partiu-se obviamente, eu e Jaime Santos não desistimos, pusemos os óculos de corrida e toca a avançar que nem uns loucos. Qual não foi o nosso espanto, quando chegámos às dunas, cenário impossível, as dunas já bastante cavadas, devido à passagem dos outros concorrentes, bem tentámos subir várias vezes mas não conseguimos. A noite aproximou-se e o nosso destino foi ficar ao relento sob temperaturas muito baixas, 'a bater o dente, e ainda por cima sem vidro no carro. Mas como diz o ditado: não há uma sem duas, nem duas sem três, espero que os ditados antigos tenham razão, vou confiar, e esperar que a sorte venha...
Nuno Inocêncio

Veja:
Dakar: a classificação na tenebrosa 10. Etapa
.
Com veículos e tripulações no bagaço, nada melhor do que uma pausa nos confrontos, à recuperação do que ainda pode ser recuperado. Há intensa movimentação no acampamento, para delícia do numeroso público que por lá se aglomera..

Classificação Geral:
.
Motos

1) Marc Coma (KTM) – 43h52min30s
2) David Fretigne (Yamaha) – a 1h24min50s
3) Cyril Despres (KTM) – a 1h31min11s
4) Jordi Viladoms (KTM) – a 1h56min40s
5) Helder Rodrigues (KTM) – a 2h05min38s

Carros
1) Carlos Sainz/ Michel Perin (Volkswagen) – 38h59min02
2) Mark Miller/ Ralph Pitchford (Volkswagen) – a 27min31s
3) Giniel de Villiers/ Dirk Von Zitzewitz (Volkswagen) – a 41min13s
4) Joan Roma/ Lucas Cruz Serna (Mitsubishi) – a 1h13min13s
5) Robby Gordon/ Andy Grider (Hummer) – a 1h34min38s

Caminhões
1) Vladmir Chagin/ Sergey Savostin/ Eduard Nikolaev – 40h01min37s
2) Firdaus Kabirov/ Aydar Belyaev/ Andrey Mokeev – a 9min46s
3) Gerard De Rooy/ Tom Colsoul/ Marcel Van Melis – a 32min18s
4) Ilgizar Mardeev/ Viatcheslav Mizyukaev/ Ayrat Mardeev – a 4h31min20s
5) Franz Echeter/ Detlef Ruf/ Artur Klein – a 5h36min25s









.
.
Equipes colhem a oportunidade para efetuar reparos.
.





;

.
.

.

3 comentários: